O que fazemos

Home O que fazemos Fonoaudiologia

Fonoaudiologia

Exame de Processamento Auditivo

Processamento Auditivo é o conjunto de processos e mecanismos que ocorrem dentro do sistema auditivo em resposta a um estímulo acústico. É responsável pelos seguintes fenômenos: localização e lateralização do som, discriminação e reconhecimento de padrões auditivos, aspectos temporais da audição, incluindo resolução, mascaramento, integração e ordenação, desempenho auditivo com sinais acústicos competitivos e com degradação do sinal acústico (ASHA, 1995).

A avaliação do Processamento Auditivo por meio de estímulos verbais e não verbais em diferentes condições, permite analisar a linguagem receptiva e expressiva do paciente, bem como avaliar as habilidades linguísticas e as habilidades auditivas, e relacioná-las com a atenção e memória, além de estabelecer diretrizes e critérios que possam auxiliar na elaboração de um programa de reabilitação.

No CEMEAR, é possível realizar avaliação do Processamento Auditivo por meio de convênio com o SUS – Sistema Único de Saúde. A avaliação das habilidades auditivas é realizada através de testes específicos. Quando é identificada alguma alteração, o paciente é encaminhado para reabilitação específica, com profissionais devidamente qualificados.

Reabilitação Auditiva

A (re) habilitação auditiva objetiva o desenvolvimento das habilidades de detecção, discriminação, reconhecimento e compreensão, aprimorando a percepção de fala e aquisição de linguagem, das pessoas com deficiência auditiva, usuários de aparelho de Amplificação Sonora (AASI) e/ou Implante Coclear

O CEMEAR possui enfoque preferencial na metodologia oralista. Os pacientes com demanda de utilização da metodologia bilíngue são submetidos à avaliação interdisciplinar e encaminhados para tal abordagem.

A Metodologia Oralista visa a integração da pessoa com deficiência auditiva na comunidade ouvinte, por meio do desenvolvimento da linguagem oral. A Metodologia bilíngue consiste em trabalhar com duas línguas no contexto terapêutico, com o mesmo objetivo. Nesse caso, utilizando Língua Portuguesa e a Língua Brasileira de Sinais – Libras.

No futuro, o CEMEAR pretende incluir em seu atendimento a Comunicação Alternativa, garantindo uma forma suplementar de comunicação para o indivíduo que ainda não desenvolveu a fala.

Reabilitação Auditiva do Processamento Auditivo Central

Após detectar o DPAC (Distúrbio ou desordem do Processamento Auditivo Central), é indicada a reabilitação do Processamento auditivo, que consiste no treinamento das habilidades auditivas alteradas. Nesse treinamento, são realizados exercícios específicos que envolvem: memória, atenção, concentração, escuta direcionada, entre outros, tudo de acordo com a necessidade de cada paciente.

No CEMEAR, o treinamento é feito individualmente ou em grupo. As atividades podem ser feitas em sala convencional, no modelo de treinamento auditivo informal, utilizando fones de ouvido, com materiais específicos, recursos gráficos e áudios visuais. Também há a possibilidade de treinamento auditivo no modelo formal, em cabina acústica, em um ambiente acusticamente tratado.

O trabalho interdisciplinar e multidisciplinar é muito importante para o desenvolvimento das habilidades auditivas alteradas, portanto, o CEMEAR conta com uma equipe de profissionais capacitados (Psicopedagogos, Psicólogos, Terapeuta Ocupacional e Assistente Social) que trabalham em conjunto para melhor adequação dos tratamentos. Também são dadas orientações para os pais e professores sobre como eles podem ajudar a criança com (DPAC) nas atividades diárias e em sala de aula.

 

Terapia Vestibular

A Reabilitação Vestibular é o conjunto de exercícios que promovem a recuperação funcional do equilíbrio corporal. Esses exercícios aceleram os mecanismos naturais da compensação, proporcionando a restauração do equilíbrio sem provocar efeitos colaterais. Isso acontece por meio da estimulação das vias vestibulares, óculo-motores e proprioceptivas.

O CEMEAR oferece atendimento de reabilitação vestibular, em parceira com o Sistema Único de Saúde – SUS, o qual encaminha pacientes pela Rede de Saúde quando apresentam diagnóstico de alterações labirínticas.

A terapia funcional é desenvolvida por uma equipe qualificada de fonoaudiólogos que realizam exercícios que auxiliam na reabilitação do paciente. Considera-se que a participação de cada paciente é de suma importância para a reabilitação labiríntica.

Em média, no CEMEAR, a duração de cada terapia é de 40 minutos, semanalmente.

 

Teste Vestibular

O teste vestibular (Vectoeletronistagmografia) faz parte da avaliação otoneurológica e tem por objetivo avaliar a função vestibular (função do labirinto) e suas correlações com o sistema oculomotor, com cerebelo e, também, com o tronco encefálico.

Através deste exame, pode-se identificar se há algum acometimento do labirinto e identificar sua alteração, sua origem (central ou periférica) e qual o lado acometido (direito ou esquerdo).

O teste é realizado em três etapas, sendo todas elas realizadas no mesmo dia. Na primeira etapa, realiza-se uma manobra postural para avaliar presença ou não de nistágmo durante a mesma. Na segunda etapa, são colocados eletrodos no rosto do paciente, em pontos específicos da face, permitindo a aquisição dos nistágmos espontâneos e daqueles provocados através do registro de movimentos dos olhos. Na última etapa, ocorre a estimulação térmica do labirinto através da injeção de ar nos ouvidos, iniciando pela temperatura quente e finalizando com a fria.

O teste é indicado nos casos em que há queixa de vertigem, náusea, zumbido, perda auditiva unilateral ou bilateral, desequilíbrio, dentre outras queixas. Quando for diagnosticada alguma alteração, é possível, a partir do resultado do teste, realizar a melhor conduta terapêutica ou encaminhamento necessário.

COMPARTILHE

PARCEIROS

Seja um parceiro CEMEAR! Colabore conosco e ajude-nos a ajudar milhares de pessoas com deficiência auditiva.

Seja um parceiro